sexta-feira, 3 de outubro de 2014

bile negra - Edson Cruz



há manhãs quando
nem o cheiro
do café
o jornal aberto
sobre a mesa
o sorriso franco
da amada
o chamado doce
de meu filho
o latido amigo
do cachorro
o frescor florido
da jabuticabeira
o canto verde
das maritacas
o azul-celeste
de janeiro
suprem o oco
do corpo a corpo
com a vida
o sumo
desperdiçado
a dádiva
imerecida

Edson Cruz (Iheus, BA) é poeta, editor e revisor publicitário.


Nenhum comentário:

Postar um comentário