quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Os Poetas e a Psicanálise




Poetas são seres raros, que nos deixam embasbacados diante de dizeres que são verdadeiras descobertas. Freud e Lacan o atestam.
Freud, em Delírios e Sonhos na Gradiva de Jensen vai dizer que eles " ... são aliados muito valiosos, cujo testemunho deve ser levado em alta conta, pois costumam conhecer toda uma vasta gama de coisas entre o céu e a terra com as quais a nossa filosofia ainda não nos deixou sonhar. Estão bem adiante de nós, gente comum, no conhecimento da mente."
Lacan, em Homenagem a Marguerite Duras pelo arrebatamento de Lol V. Stein, reafirma a tese de Freud, quando diz" ... a única vantagem que um psicanalista tem o direito de tirar de sua posição, sendo-lhe esta reconhecida como tal, é a de se lembrar, com  Freud, que em sua matéria o artista sempre o precede". 
Leiam o soneto de Pablo Neruda e ouçam o que ele diz sobre o amor, o sonho e a morte do pai.


XLIII
Quién era aquella que te amó
en el sueño, cuando dormías?
Dónde van las cosas des sueño?
Se van al sueño de los otros?

Y el padre que vive en los sueños
vuelve a morir cuando despiertas?
Florecen las plantas des sueño
y maduram sus graves frutos?
(Neruda, Libro de las preguntas)
Bernadete Pitteri Bernadette Pitteri



M. Bernadette S. de S. Pitteri
fonte:http://www.ebpsp.org.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário