domingo, 1 de junho de 2014

Graciliano Ramos


“Dizes que brevemente serás a metade de minha alma. A metade? Brevemente? Não: já agora és, não a metade, mas toda. Dou-te a minha alma inteira, deixe-me apenas uma pequena parte para que eu possa existir por algum tempo e adorar-te.”
(Cartas de amor a Heloísa)


“Comovo-me em excesso, por natureza e por ofício. Acho medonho alguém viver sem paixões.”


“Palavras de arrependimento vieram-me à boca. Engoli-as, forçado por um orgulho estúpido. Muitas vezes por falta de um grito se perde uma boiada.”
                Graciliano Ramos - S. Bernardo, capítulo XXXI


“Quando se quer bem a uma pessoa a presença dela conforta. Só a presença, não é necessário mais nada.”


“Só posso escrever o que sou. E se os personagens se comportam de modos diferentes, é porque não sou um só.”