segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

O constante diálogo - Drummond



Há tantos diálogos

Diálogo com o ser amado
                   o semelhante
                   o diferente
                   o indiferente
                   o oposto
                   o adversário
                   o surdo-mudo
                   o possesso
                   o irracional
                   o vegetal
                   o mineral
                   o inominado

Diálogo consigo mesmo
            com a noite
            os astros
            os mortos
            as idéias
            o sonho
            o passado
            o mais que futuro

Escolhe teu diálogo
                           e
tua melhor palavra
                           ou
teu melhor silêncio
Mesmo no silêncio e com o silêncio
dialogamos.



Carlos Drummond de Andrade

Um comentário:

  1. Drummond, grande Drummond... Ana, Drummond não o meu poeta preferido... Amo, em primeiro lugar, três poetas, nessa ordem: Mario Quintana, Fernando Pessoa e Jorge Luis Borges, entretanto, considero Drummond o maior poeta brasileiro de todos os tempos, acho, inclusive, que ele é maior que o próprio Pessoa...Agora, imagina se Drummond fosse meu poeta preferido?
    Um abração. Tenhas uma linda semana.

    ResponderExcluir